A Dieta de Kitava: Tubérculos, Frutas Frescas, Peixe e Coco

Existem poucos lugares no mundo que se destacam do restante quando se fala em ser livre de doenças degenerativas. Um deles é Kitava, uma pequena ilha do grupo das Ilhas Trobriand, que são situadas na Papua Nova Guiné. Lá os hábitos alimentares são praticamente 100% naturais (daí o nome Dieta de Kitava) e quase que praticamente intocados pelos hábitos alimentares do Ocidente.
Para ver as fotos da ilha de Kitava, clique aqui.

Pesquisadores que estudaram os Kitavanos, seu estilo de vida (incluindo a dieta de Kitava) e sua saúde excepcional relatam que praticamente não existe acne, diabetes, doenças cardiovasculares que levam ao infarto ou falha do coração, demência ou problemas de pressão entre os Kitavanos nativos. Mais ainda, o povo nativo de Kitava não sofre de obesidade ou mesmo sobrepeso apesar da abundância de comida que está disponível naturalmente a eles em sua ilha tropical.

Eles tem baixa pressão diastólica (todos com menos de 90mm Hg) e a concentração total de colesterol é um pouco mais elevada que o normal, provavelmente devido ao relativamente alto consumo de gordura saturada vinda do coco, que é uma gordura saudável.

Kitava tem 2,300 habitantes e a expectativa de vida após o nascimento é de 45 anos, incluindo mortalidade infantil, e aos 50 anos, a expectativa é de cerca de 75 anos. Mesmo a expectativa de vida após o nascimento não soando como muito, é algo significativo para uma população com acesso limitado à medicina moderna. E também é importante considerar as causas mais comuns de morte em Kitava, que incluem acidentes (como afogamento), homicídio, malária e complicações da gravidez.

Dieta de Kitava Island Staffan LindebergEntre a população mais velha em Kitava, acidentes e a idade avançada – em vez de doenças degenerativas – são as principais causas de morte. A boa saúde dos Kitavanos não está relacionada à genética já que grupos geneticamente similares que comem alimentos industrializados em abundância são suscetíveis às doenças degenerativas do Ocidente. Também, exercício não é considerado a causa da saúde excepcional em Kitava, pois um Kitavano médio é apenas pouca coisa mais ativo fisicamente do que uma pessoa do Ocidente que leva uma vida sedentária.

Comidas locais, como tubérculos, frutas frescas, coco e peixe, compõe a espinha dorsal da Dieta de Kitava. Os tubérculos mais consumidos incluem inhame, cassava (a mandioca, também chamada de yucca ou manioc), batata-doce (também chamada de kumara) e taro (uma planta local). Frutas comuns incluem banana, mamão, goiaba, abacaxi, manga e melancia.

O consumo de comidas ocidentais é extremamente baixo, com uma média de cada Kitavano gastando em torno de meros 15 reais por ano em alimentos ocidentais. O consumo de produtos derivados do leite, chá, café e álcool é perto de zero, e o consumo de sal é muito baixo comparado aos padrões ocidentais. Também, o consumo de óleos, margarina, açúcar, grãos e cereais é baixíssimo. O consumo de gordura em geral é igualmente baixo, e a maioria da gordura consumida é a saturada do coco ou marinha (ômega-3 de frutos do mar).

Em resumo, a dieta Kitavana compõe-se de uma abundância de alimentos que tem baixo índice glicêmico e que são ricos em fibras solúveis, magnésio, potássio e ácidos graxos ômega-3. Todas essas características podem contribuir para a excepcional saúde e benefícios associadas à dieta de Kitava.

Uma Abundância de Comidas Com Baixo Índice Glicêmico

Gráfico Índice Glicêmico - Dieta de Kitava

O índice glicêmico (IG) é uma medida da habilidade que os alimentos que contém carboidratos tem de elevar os níveis de açúcar no sangue (glicose). Alimentos com alto IG (um IG de 70 ou mais) contém carboidratos de digestão rápida, que desencadeia uma larga e rápida elevação dos níveis de açúcar no sangue. Em contraste, alimentos com ranking de baixo IG (55 ou menos) contém carboidratos de lenta digestão e por isso, produzem um aumento lento e gradual nos níveis de açúcar no sangue. Uma dieta rica em comidas com alto IG e pobre em alimentos de baixo IG leva o corpo a extremos e é associada com pelo menos um dos seguintes problemas de saúde: excesso de peso ou obesidade, piora dos sintomas de diabetes, resistência à insulina, doenças cardíacas, altos níveis de colesterol, compulsão e falta de energia.

Tubérculos, que são a base da dieta de Kitava e uma das fontes primárias de carboidratos para os Kitavanos, geralmente tem um baixo índice glicêmico (IG):

  • Cassava / Mandioca (fervida): 46
  • Inhame (fervido): 35
  • Batata-Doce (fervida): 44
  • Taro (fervido): 56

A Batata-Doce e Seus Extraordinários Benefícios Para a Saúde

Você sabia que a batata-doce, um dos mais populares alimentos de Kitava, são carregadas de beta-caroteno e vitamina C? De fato, esses tubérculos contém mais beta-caroteno que cenouras e mais vitamina C que tomates. Ambos, beta-caroteno e vitamina C possuem poderosas propriedades  antioxidantes e podem ajudar a proteger contra o câncer e o envelhecimento. E mais, batata-doce apresenta uma enorme quantidade de outros menos conhecidos antioxidantes, além de benefícios para o armazenamento de proteínas.

Além disso, a batata-doce mostrou que aumenta os níveis de adiponectina no sangue, uma proteína hormonal que é produzida pelas nossas células de gordura. Pessoas que sofrem de diabetes tipo 2 ou resistência à insulina e pessoas obesas tipicamente tem baixos níveis de adiponectina. Em adição ao benefícios à saúde de pessoas sofrendo de diabetes ou pré-diabetes, a adiponectina presente na batata-doce pode ajudar a proteger contra a aterogênese (a formação de depósitos de gorduras anormais nas paredes das artérias). Não é a toa que doenças cardíacas e diabetes praticamente não existem em Kitava! A Dieta de Kitava age como protetora do sistema vascular.

A Dieta de Kitava e o Coco

O coco tem uma longa e respeitosa história entre os Kitavanos e povos das ilhas do Pacífico em geral. E também parece oferecer alguns benefícios extraordinários à saúde devido às suas propriedades antibactericidas, antifungos e antivirais. Também existem evidências sugerindo que os triglicerídeos de média-cadeia presentes no coco ajudam na perda de peso.

Um estudo publicado no Jornal Internacional de Obesidade e Desordens Metabólicas descobriu que os TMC no coco aumentaram o efeito da queima de gordura e gasto calórico em homens obesos e diminuíram o armazenamento de gordura. outro estudo mostrou que o consumo de gordura presente no óleo de coco pode aumentar a queima de gordura e gasto calórico em mulheres da mesma maneira.

O Estudo Sobre Acne em Kitava

Mais de 80% dos adolescentes americanos entre 16 e 18 anos e 20% de todos os adultos nos Estados Unidos sofrem de acne; em Kitava, praticamente ninguém que vive e come do modo tradicional sofre dessa condição. Durante um período de sete semanas de estudo em 1990, o médico suíço e clínico geral Dr. Staffan Lindeberg visitou 494 casas em Kitava e fez exames de saúde em mais de mil pessoas, desde crianças de 10 anos ou mais, 25% sendo em pessoas dentre 15 e 25 anos. Nenhum caso de acne foi observado em qualquer grupo. A ausência de acne em Kitava é resultado da dieta de hábitos alimentares específicos e outros fatores do estilo de vida, e não de fatores genéticos, já que a prevalência de acne é muito maior entre outros habitantes das ilhas do Pacífico que tem semelhanças étnicas com  os Kitavanos mas vivem em sociedades mais ocidentalizadas.

Para saber mais especificamente sobre a dieta de Kitava e Acne, leia o artigo Kitava: Uma Ilha Onde Não Existe Acne.

A Dieta de Kitava é considerada “Paleo”?

Muitos seguidores radicais da dieta paleo não consideram tubérculos e frutas como alimentos permitidos nesse tipo de dieta; outros menos radicais propõem que alimentos como frutas frescas, mandiocas e outros tubérculos são paleo, mas devem ser consumidos com moderação. Já o consenso entre aqueles que seguem a dieta há um bom tempo e já testaram muitas variações, é de que a dieta de Kitava é 100% paleo, já que consiste apenas de alimentos naturalmente disponíveis no ambiente e produzem efeitos totalmente naturais no metabolismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *